Serpentário? Será que o Seu Signo Mudou?

De tempos em tempos aparecem na Internet e na TV notíciais de que há um 13º Signo, o Serpentário. E que ele foi recentemente descoberto pelos Astrônomos e isso mudaria toda a Astrologia. Mas você pode ficar tranquilo, pois na verdade isso em nenhum momento afetou a Astrologia. Veremos o que é Serpentário e porque ele não é considerado pela Astrologia.


O que é Serpentário?

Diferente do que é divulgado, Serpentário na verdade não é um Signo. Ele é uma constelação. Esta constelação também é conhecida como Ophiuchus. Sua presença no céu já é notada desde os tempos antigos, sendo representada como um homem segurando uma serpente. Esta constelação é vizinha de: Hercules, Aquila, Serpens Caput, Serpens Cauda, Libra, Scorpius e Sagittarius.

Infelizmente, é muito comum que as pessoas acreditem que os Signos são constelações. Essa confusão vem através da tradição da astrologia que nomeia os Signos com os nomes das principais constelações. Antigamente, há milhares de anos atrás, Signos e constelações estavam alinhados. Porém com o passar dos milênios as constelações mudam ligeiramente sua formatação, enquanto os signos permanecem imutáveis, pois eles são marcações da própria natureza do nosso planeta, acompanhando os ciclos de manifestações da Terra (veja mais em O que é Astrologia?).

A Astrologia não usa as constelações siderais.

As constelações fazem parte do Zodíaco Sideral, e é esse o zodíaco usado pelos Astrônomos. Mas a Astrologia usa outro zodíaco, o Zodíaco Tropical, ele é composto por Signos e não por constelações (veja mais em O Zodíaco). Diferente das constelações físicas, os Signos do Zodíaco Tropical são marcações que estão alinhadas com os ciclos de Solstício e Equinócios da Terra, dividindo a faixa da Eclíptica* em seções de 30º exatos a partir do Ponto Vernal**, sendo o início da primavera no Hemisfério Norte o ponto de partida para o primeiro signo (Áries). Isso quer dizer que estão alinhados com os ciclos naturais da Terra, como por exemplo as estações do ano, e isso é fundamental para fazer a Astrologia funcionar, o sincronismo com nosso planeta.

  • * A Eclíptica é o caminho que o Sol percorre no céu do ponto de vista da Terra;
  • ** O Ponto Vernal é determinado pelo ponto onde o Sol percorrendo o caminho da Eclíptica cruza com o Equador Celeste. Isso ocorre aproximadamente no dia 21 de Março, sendo considerado o Equinócio de Primavera no Hemisfério Norte e o Equinócio de Outono no Hemisfério Sul.

Na antiguidade, há aproximadamente 3 mil anos atrás, quando se supõe que a Astrologia teve os seus principais fundamentos definidos, as constelações siderais estavam alinhadas com as marcações dos Signos. Mas com o passar dos milênios as constelações no céu mudam ligeiramente sua configuração. E o serpentário que há 3 mil anos não estava presente da linha da Eclíptica, agora já se faz presente. Mas isso em nenhum momento afeta as marcações do zodíaco tropical, que permanece imutável desde os tempos antigos.

Constelações são conjuntos de estrelas físicas, Signos são marcações das manifestações naturais das Terra.


De onde vêm os Signos?

O significado dos Signos vem de um estudo das Qualidades Primitivas, que explora as bases mais simples de manifestação até chegarmos em manifestações mais complexas: os Signos. Portanto, não são as constelações que mandam raios cósmicos para nós aqui da Terra, isso não existe, e Signos não são constelações.

A base de formação dos Signos obedece ao ciclo de Qualidades Primitivas (Quente, Frio, Úmido e Seco), dando origem aos Quatro Elementos simbólicos (Terra, Fogo, Água e Ar) e aos Três Modos (Cardinal, Fixo e Mutável). Os Signos nascem do cruzamento entre Elementos e Modos (veja mais em A Origem dos Signos).

4 Elementos x 3 Modos = 12 Signos

Por isso são 12 Signos, e não 13. Um 13º Signo não se encaixa na estrutura de formação dos Signos, sendo algo completamente incoerente para a Astrologia. Forçar a inclusão de um 13º Signo só por causa de uma nova constelação que apareceu na faixa da Eclíptica milhares de anos depois, além de ser incoerente já que Signos não tem nada haver com constelações, também seria totalmente contra ao ciclos de manifestações naturais de nosso planeta Terra, fazendo a Astrologia perder sua base, por quebrar o sincronismo com as manifestações naturais.

A presença de uma nova constelação não fez a Terra mudar sua configuração natural, ela não passou a ter dias mais longos ou mais curtos, nem afetou o grau de seu eixo inclinado o que afetaria o ciclo de estações do ano, muito menos mudou o tempo que ela leva para dar uma volta completa no Sol. Sendo assim a Terra não foi afetada pela presença de uma nova constelação, mantendo suas manifestações naturais, e os Signos são marcações que estão em sincronia com as manifestações naturais da Terra.


Astrologia Ameaçada

A história do 13º Signo surgiu do ataque de alguns poucos astrônomos que resolveram criticar a Astrologia afirmando que ela está tão errada que nem considera o serpentário, além de não estar atualizada quanto o posicionamento correto das constelações.

Como vimos, a Astrologia não faz uso das constelações como referência dos Signos. Mas infelizmente foi uma jogada que se aproveitou da inocência das pessoas que acreditam que Signos são constelações. Isso só levou a alvoroço, bagunça, polêmica e descrédito em cima da Astrologia. Fazendo com que as pessoas que gostam do assunto fiquem até hoje inseguras de ter suas previsões e interpretações astrológicas totalmente equivocadas.

O principal nome associado a essas declarações é o astrônomo Parke Kunkle, da Sociedade Planetária de Minnesota. Em janeiro de 2011 ele fez uma publicação sobre a precessão dos equinócios e como isso muda o zodíaco sideral no decorrer de milênios. Fato já conhecido há muito tempo por astrônomos e astrólogos. Particularmente no Brasil a revista Veja (26/01/2011) fez uma reportagem sobre isso, mas com conteúdo tendencioso induzindo a opinião de que os Astrólogos não tem argumentos concretos sobre o tema. Isso ganhou muita repercussão no Brasil, sendo tema muito discutido na mídia, criando essa confusão entre Signos e constelações, e deixando as pessoas inseguras quanto a Astrologia.

Infelizmente, esse assunto não foi um simples erro de alguns astrônomos, pois tanto Astrônomos quanto Astrólogos já tem há muitos anos consciência das diferenças entre suas áreas de atuação. Ambos conhecem já há muito tempo a presença da constelação de serpentário, e que os signos da Astrologia são marcações do zodíaco tropical e não constelações. Até mesmo os vídeos de Astronomia Básica da popular série Espaçonave Terra (1996) são capazes de falar sobre a diferença entre esses dois sistemas zodiacais.

Video da Espaçonave Terra citando a diferença entre os dois sistemas zodiacais:

O trabalho dos Astrônomos é respeitável e admirável. Para se tornar um astrônomo isso requer uma mente genial e brilhante, com anos de dedicação a estudos de cálculos absurdamente complexos. Suas descobertas tem sido de fundamental importância para a Astrologia no decorrer dos anos, principalmente com as principais descobertas, como os planetas Urano, Netuno e Plutão, e também com o avanço nos cálculos dos movimentos dos planetas. Mas nem tudo o que a Astronomia descobre se aplica a Astrologia, como por exemplo a descoberta de estrelas e astros em outros sistemas distantes, ou de meteoros e outros corpos menores em nosso sistema. O mesmo ocorre no caso de serpentário, que mudou significativamente a forma de ver o céu através da astronomia, mas não afeta a marcação dos Signos da Astrologia.


Mais Informações

Você pode conferir mais detalhadamente sobre esses assuntos nos seguintes artigos:

Astrólogo, Engenheiro e Programador.
Em breve também Pianista, por quê não?
Sol em Capricórnio, Ascendente em Libra, Lua em Peixes.

Tenho constante interesse por assuntos relacionados à espiritualidade e desenvolvimento do ser. Estudo Astrologia há 8 anos fazendo cursos, devorando livros e assistindo palestras. Atualmente estou investindo em formação profissional e especializações.

Quando um engenheiro enxerga um problema, ele encontra uma solução. E é isso o que vejo na Astrologia. Ela não serve para julgar ninguém, muito menos para justificar problemas e defeitos que acabam só levando ao conformismo de uma vida ruim. Muito pelo contrário! Através da Astrologia encontramos soluções, ela ajuda a compreender quem somos e nos ensina a usar nossos potenciais, permitindo assim direcionar a vida conscientemente.

Consultas por WhatsApp: (11) 98429-9452

Contribua você também, deixe um comentário.

This site employs the Wavatars plugin by Shamus Young.